Text Size

Buscar

São Paulo entrega 156 apartamentos na zona leste da capital

Com um investimento de R$ 11,2 milhões, o Conjunto Residencial "São Sebastião", localizado no bairro de "Guaianases", tem seis blocos e unidades acessíveis às pessoas com mobilidade reduzida.

Na tarde desta sexta-feira (19), a Prefeitura de São Paulo, em parceria com a Caixa Econômica Federal (CEF), realizou a cerimônia de entrega do Conjunto Residencial São Sebastião, localizado em Itaquera, zona leste. O empreendimento foi construído em uma área de 3.783 m², no número 720 da rua Frei Antonio Faggiano, região de Guaianases, e conta com 156 unidades habitacionais. Destas, seis possuem banheiros adaptados a pessoas portadoras de deficiência ou mobilidade reduzida, com barras de apoio e facilidade de acesso à pia, ao vaso sanitário e à área do chuveiro.

Foram investidos no conjunto, viabilizado pelo programa Minha Casa, Minha Vida, R$ 11,2 milhões, sendo R$ 10,2 milhões do Governo Federal, por meio da CEF, e R$ 1 milhão pela Companhia Metropolitana de Habitação (COHAB), na venda do terreno. “Em geral, as prefeituras arcam com o terreno. Então, se não desapropriar terra, não tem Minha Casa, Minha Vida. Uma segunda possibilidade é o empresário privado comprar a terra e a prefeitura complementar o valor. O Minha Casa, Minha Vida funciona com uma articulação da Caixa Econômica Federal, do governo federal, do governo do Estado e da prefeitura da cidade. Sem essa articulação, a gente não consegue viabilizar a produção de moradia em São Paulo”, destacou o prefeito Fernando Haddad, que participou da solenidade de entrega e visitou o conjunto.

As famílias contempladas foram definidas em um sorteio ocorrido no final do mês passado e se enquadram na faixa 1 do programa Minha Casa, Minha Vida, com renda mensal de até R$ 1.600. Elas começarão a mudança a partir do próximo dia 1º de julho. Todas tinham sido removidas de áreas de risco e estavam cadastradas nos programas de habitação popular da Secretaria Municipal de Habitação. Em média, cada apartamento teve um custo de R$ 71,7 mil. As famílias pagarão, durante 120 meses, prestações que variam de R$ 25 a R$ 80, dependendo da renda mensal. Assim, aproximadamente 8,7% do valor da unidade serão quitados pelos novos moradores.

“Vocês vão pagar uma prestação, a partir de hoje, que não será de mais de R$ 80 e para morar com dignidade. E mais do que isso: para morar em um imóvel que será de vocês, aliás, já é de vocês”, disse o ministro das Cidades, Gilberto Kassab. “Uma boa notícia é que temos hoje, na cidade de São Paulo, sendo licenciadas 84 mil unidades habitacionais. São 84 mil famílias que poderão ter sua casa própria. É um esforço em que a prefeitura comprou terra, empresário comprou terra, e essa terra está sendo colocada à disposição da Caixa Econômica Federal. Tem 22.800 unidades já entregues ou em andamento e 84 mil unidades em licenciamento”, completou Haddad.

O conjunto habitacional está dividido em seis blocos com dois salões de festa com banheiro, áreas ajardinadas e playground para crianças. A planta dos apartamentos, de 47 m², tem dois quartos, sala, cozinha, banheiro e área de serviço, sendo que todos os ambientes possuem piso em cerâmica. “Essa vitória é de todos. Agradeço em nome desses moradores que estão saindo de áreas de risco para morar numa coisa digna, porque a gente era discriminado. Hoje, nós temos um endereço, hoje nós vamos ter algo para nós e para nossos filhos”, afirmou Diana do Nascimento Silva, uma das beneficiadas pelo novo empreendimento.

Também participaram do evento a vice-prefeita Nádia Campeão e os secretários municipais José Floriano (Habitação), Chico Macena (Governo) e Luiz Antonio de Medeiros (Coordenação das Subprefeituras).

Fonte: Prefeitura de São Paulo

Prefeituras Parceiras






Greenpeace

Greenpeace

WWF