Text Size

Buscar

Embu das Artes realiza o segundo Encontro de Empresários

O prefeito de Embu das Artes, Chico Brito, esteve reunido nesta terça-feira (23), com empresários e representantes de 26 empresas do município, para discutir sobre investimentos e incentivo fiscal.

O prefeito de Embu das Artes, Chico Brito, esteve reunido na manhã de terça-feira, 23/6, com empresários e representantes de 26 empresas da cidade para discutir sobre investimentos e leis de incentivo fiscal.  O gestor municipal abriu o 2º Encontro de Empresários de Embu das Artes, prestando contas das ações realizadas na cidade graças a contrapartidas sociais de empresas como LIBBS, Sincoplastic, EPC empreendimentos e Ave-Maria, entre outros.

Durante o encontro foram debatidos mecanismos de incentivo fiscal que possibilitam as empresas tornarem-se grandes incentivadores e patrocinadores de projetos do município sem gastar nada. Além, de se beneficiar de toda a publicidade e exposição positiva que os projetos podem trazer.

Chico Brito elogiou a postura de empresas e empresários na cidade e chamou atenção para um dado importante: “Foi-se o tempo em que era senso comum que empresário só pensava em ganhar dinheiro. As pessoas não são máquinas de ganhar dinheiro, são seres que querem transformar seu ambiente, ser melhor a cada dia e ajudar o outro a ser melhor. De cada R$ 100 de ICMS captado em Embu das Artes, apenas R$ 25 retornam para o município, essa é a oportunidade de fazer uma reforma tributária e deixar na cidade o que é arrecadado aqui”.

Segundo Waldir Zampronha, da ZAS - Saúde e Esportes, com a Lei de Incentivo Fiscal o Governo deixa de arrecadar impostos para que o dinheiro seja revertido em ações que beneficiam milhares de pessoas, criando uma cultura de solidariedade na cidade: “Vale a pena investir em projetos locais, isso só beneficia o município. Você destina um recurso que não é mais seu a projetos do município onde você está, ao invés de deixar que ele seja diluído no orçamento da união”.

Como exemplo, Waldir citou a Lei Rouanet, do Programa Nacional de Apoio à Cultura (Pronac), que prevê o revertimento de até 4% do Imposto de Renda, em prol de projetos culturais. E também, a destinação de até 3% do ICMS para projetos de incentivo a cultura e mais 3% a projetos de incentivo ao esporte. O empresário também orientou os demais participantes sobre as fases de cadastramento para aporte financeiro com abatimento no Imposto de Renda.

Daniela Camargo, da empresa Búfalo, deu um testemunho positivo sobre o assunto e fez um apelo: “No começo eu tive receio em aportar os projetos, mas fui pesquisar a fundo e hoje vejo quantos benefícios isso traz para a empresa. É simples, ao invés de pagar 100% do imposto ao governo, eu pago 96% e o restante invisto em projetos da cidade, e ainda veiculo a minha marca com custo zero. Mas, para que esses projetos aconteçam é necessário atingir um percentual mínimo de apoio e, para isso, é preciso que outros empresários também se disponham a colaborar”.

Entre os projetos apoiados pela empresa Búfalo, está o Programa Esporte Cidadão, da Secretaria de Esportes, aprovado pela Lei Paulista de Incentivo ao Esporte, como apto a captar recursos.

Para Maria do Carmo Mota, do Colégio Polis e Faculdade Polis das Artes, o encontro foi esclarecedor: “Sabia que existiam leis de incentivo, mas não sabia como funcionavam e que a cidade possuía projetos aptos a elas. Esse tipo de encontro é importante, pois traz a oportunidade de entender melhor e mostrar que a Prefeitura está trabalhando as questões sociais na cidade”.

Já Roberto Constantino, da Gráfica Ave-Maria, sugeriu: “Essa é uma iniciativa plausível, o encontro foi muito positivo. A minha sugestão é que haja uma continuidade desse encontro ao longo do ano, que não se espere mais um ano para tratar do assunto, mas que mantenhamos a conversa e troquemos e-mails com ideias, sugestões e que a Prefeitura nos informe sobre os projetos que estão nascendo na cidade”.

O Padre Cláudio Benjamim, do Missionários Claretianos, grupo responsável pela creche Ave-Maria que, em Embu das Artes, atende mais de 300 crianças, como apoio da Prefeitura, sintetizou:  “Empresas inteligentes tem consciência conjunta de construir algo melhor no campo social ao nosso entorno, nossa vizinhança faz parte da nossa vida”.

Participaram do encontro representantes das empresas Af Datalink,  Acise (Associação Comercial, Industrial e Serviços de Embu), Almenat Extensão Corporativa, Apaesp (Aparas Espindola), Atacado Máximo, Banco do Brasil, Bem Brasil, Búfalo, Cemitério Memorial Parque Paulista (Grupo Memorial), Colégio Polis, Editora Ave Maria, Embu S/A Engenharia e Comércio, BBB Outlet, Engeluz Iluminação e Eletricidade, Espeto Bar, Itaarte, Itaim Iluminação, LIBBS Farmacêutica, MegaMulti, RFS Radio Frequency Systems, Sincoplastic, Solução Limp Log, Tópico, Trigoplast Industria e Comércio, Ultralix Ambiental e Véritas, e os secretários municipais Valdir Barbosa (Turismo), Alan Leão (Cultura), Roberta Santos (Assistência Social, Trabalho e Qualificação Profissional) e Silvino Bonfim (Esportes e Lazer).
 
Fonte: Patrícia Carvalho - Prefeitura de Embu das Artes

Prefeituras Parceiras






Greenpeace

Greenpeace

WWF